sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Datafolha também mostra Dilma na frente: 53% a 47%

Datafolha mostra Dilma Rousseff à frente de Aécio Neves fora da margem de erro pela primeira vez neste segundo turno. Vantagem que era de dois pontos no levantamento anterior agora é de seis

dilma datafolha aécio
Dilma abre 6 pontos sobre Aécio, diz Datafolha. Mais cedo, Ibope aponto vantagem de 8 pontos para a atual presidente (Imagem: Pragmatismo Político)

Em pesquisa finalizada nesta quinta-feira (23), o instituto Datafolha mostra Dilma Rousseff (PT) com 53% dos votos válidos e Aécio Neves (PSDB) com 46%. A vantagem que era de 4 pontos no último levantamento – mas ainda considerada empate técnico – agora vai a 6, para além da margem de erro. Ainda hoje, o Ibope já havia dado vantagem de Dilma sobre Aécio com 8 pontos de diferença.
Em votos totais, Dilma alcança 48%, Aécio atinge 42%. Brancos e nulos somam 5%. Outros 5% dizem não saber em quem votar.

AVALIAÇÃO DE GOVERNO

A nova pesquisa Datafolha também investigou a avaliação do governo Dilma. Segundo o levantamento, 44% julgam a administração petista “boa ou ótima”, ante 42% do levantamento anterior.
Trata-se do melhor patamar desde junho de 2013. No mês das grandes manifestações de rua, a aprovação de Dilma despencou de 57% para 30%.

REJEIÇÃO

A pesquisa mostra ainda que 41% dos eleitores afirmam que não votam em Aécio “de jeito nenhum”. Em duas semanas, a rejeição dele subiu 7 pontos (era de 34% em 9 de outubro). Já a taxa de rejeição de Dilma está em 37% (era de 43% há duas semanas).
O Datafolha foi encomendado pela Folha de S.Paulo e TV Globo e ouviu 9.910 pessoas na quarta (22) e nesta quinta (23).

Levantamento aponta Nordeste como líder de financiamento de motos em setembro

Levantamento aponta Nordeste como líder de financiamento de motos em setembro
Foto: Reprodução
Um levantamento divulgado pela companhia de capital aberto Cetip nesta quinta-feira (23) indica que o Nordeste foi a região líder de financiamento de motos em todo o país, com 30.484 unidades entre novas e usadas e aumento de 7% em relação a agosto. A região superou o Sudeste, onde foram vendidas 29.126 motos a prazo no mês passado. No ranking da região, a Bahia fica em 3º lugar do número de motos compradas em agosto, com o total de 5.220 financiadas. O estado fica atrás do Maranhão (aproximado de 6,3 mil) e Ceará (5,57 mil). Ainda de acordo com o levantamento, as motos correspondem a 34% de todas as vendas financiadas, tendo uma participação significativa nos financiamentos de veículos no Nordeste.

Rejeição de Aécio Neves sobe para mais de 40% nas duas pesquisas divulgadas nesta quinta

Rejeição de Aécio Neves sobe para mais de 40% nas duas pesquisas divulgadas nesta quinta
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
A rejeição do presidenciável Aécio Neves (PSDB) aumentou entre os eleitores tanto na pesquisa do Datafolha quanto na do Ibope, divulgadas nesta quinta-feira (23). No Datafolha, 41% dos eleitores afirmam que não votam em Aécio "de jeito nenhum", enquanto que a taxa de rejeição de Dilma está em 37%. Em duas semanas, a rejeição do tucano subiu sete pontos (era de 34%), enquanto que a da petista está seis pontos menor - era 43%. No Ibope, a rejeição a Aécio, subiu de 35% para 42% do eleitorado, enquanto que a de Dilma se manteve em 36%, também em relação ao início do segundo turno. A pesquisa Ibope está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-01168/2014 e a Datafolha com BR-1162/2014.

Informações: Bahianoticias

SINDICACAU AGE CONTRA DEMISSÕES NA JOANES

Imagem de arquivo.
Imagem de arquivo.

O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Alimentação de Ilhéus, Itabuna e Região (Sindicacau) mobiliza os trabalhadores filiados contra onze demissões sem justa causa feitas pela multinacional ADM Joanes, que processa grãos de cacau em Ilhéus.

Segundo Luiz Fernandes, presidente  do Sindicacau, as demissões foram comunicadas à entidade, que tentou evitar sem precisar ir à justiça. Mesmo alertada, a empresa prosseguiu com os planos. De acordo com o sindicato, entre os onze demitidos, havia pelo menos dois trabalhadores com 25 anos de carteira assinada e dois integrantes da Comissão Interna de Prevenção a Acidentes (CIPA).

Fernandes ressalta que estava proibida a demissão de funcionários que estivessem prestes a se aposentar e de integrantes da CIPA.

Para justificar as demissões, a Joanes argumentou passar por reestruturação de seu quadro de funcionários. Essa readequação também é questionada pelo sindicato, já que o cacau e seus derivados não apresentam qualquer desvalorização recente no mercado mundial.

Na segunda-feira, 20, o sindicato e a empresa voltaram a se reunir, mas não chegaram a um consenso sobre o retorno dos trabalhadores. Para Fernandes, a situação será resolvida judicialmente. Além disso, os funcionários aprovaram uma paralisação de advertência.

Na também processadora de grãos de cacau Cargil, os trabalhadores aprovaram estado de greve, que deve ser colocado em prática na próxima sexta-feira, 24.

A empresa se negou a atender integralmente as reivindicações da campanha salarial. Entre outras pautas, exigia 8% de aumento, elevando o piso salarial a 1060, a folga aniversariante, aumento para 650 do tíquete alimentação, além do adicional noturno, hora extra e criação de plano de cargos e salários



quarta-feira, 15 de outubro de 2014

As estrelas de Dilma e Aécio

Artistas, escritores, intelectuais, apresentadores, cantores e até jogadores de futebol, confira os famosos que integram os times de Dilma Rousseff e Aécio Neves

famosos dilma aécio 2014
Diversos famosos declararam voto nos candidatos à Presidência da República em 2014 (Imagem: Pragmatismo Político)
Diversos famosos declararam apoio às campanhas de Aécio Neves (PSDB) e de Dilma Rousseff (PT) nas eleições de 2014. Antes mesmo do primeiro turno, o ator José de Abreu e os cantores Otto e Beth Carvalho levaram ao público o voto na petista.

DILMA ROUSSEFF

Em setembro, vários artistas e intelectuais assinaram um manifesto em apoio à reeleição de Dilma. Entre eles, Chico Buarque, que é conhecido por suas fortes convicções políticas e que ainda não havia se manifestado sobre as eleições de 2014 até então. Assim como Chico, diversos outros artistas assinaram o texto, como o cantor Chico César e o ator Paulo Betti.
Marieta Severo, Matheus Nachtergaele e Zezé Motta também assinaram o manifesto pela reeleição de Dilma. Apareceram na lista ainda nomes como Alcione, Angela Vieira, Chico Diaz, Leci Brandão, Leonardo Boff, Nelson Sargento e Tuca Moraes. O ator José de Abreu e os cantores Otto e Beth Carvalho também levaram ao público o voto na petista.
“Eu apoio as mulheres, os negros, os pobres. Portanto apoio Dilma, tamo junto!”, declarou o rapper Rappin’ Hood em suas redes sociais, ao divulgar apoio a Dilma. Outro rapper que declarou voto na petista foi Mano Brown, líder do grupo Racionais Mcs.
Outro que está do lado de Dilma é o cartunista Ziraldo, além do ator veterano Antonio Pitanga e a sua filha, Camila Pitanga. Também estão com Dilma os atores Osmar Prado e Henri Castelli, e os escritores Luis Fernando Verissimo e Fernando Morais.

AÉCIO NEVES

Aécio Neves não recebeu manifesto assinado por famosos, mas também tem o apoio de diversos artistas. O apresentador Luciano Huck, o ex-jogador de futebol Ronaldo e o técnico de vôlei Bernardinho se mobilizaram em prol do tucano. O ator pornô Alexandre Frota também já declarou voto em Aécio.
O cantor Zezé di Camargo e a filha Wanessa apoiam o candidato tucano e chegaram a participar de propaganda política de Aécio. Chitãozinho e Xororó também participaram de propaganda política de Aécio. Outra dupla sertaneja, Gian e Giovanni, declarou apoio ao presidenciável tucano.
O casal de atores Rosamaria Murtinho e Mauro Mendonça fazem parte do time do tucano, assim como o ator e político Stepan Nercessian.
O vocalista do grupo Jota Quest, Rogério Flausino, está no time pró-Aécio. Henrique Portugal, do grupo Skank, também apoia a candidatura do tucano. O músico conservador Lobão é outro que declarou nesta semana voto no candidato do PSDB.

Debate da Band foi decisivo para não votar em Aécio Neves

Aécio se exaltou ao ser confrontado com temas como a violência contra a mulher e o nepotismo. O candidato também não explicou por que tanto fala em 'meritocracia, se nunca dependeu dela para galgar posições

aécio neves silas malafaia
O pastor Silas Malafaia comemorou o desempenho de Aécio Neves no debate da Band (Pragmatismo Político)
Lola Aranovich*, em seu blog
Se faltava alguma coisa para não votar em Aécio Neves (PSDB), agora, depois do debate de ontem (14), na Band, não falta mais. Não há nada de meritocracia, termo que ele repetiu inúmeras vezes, num candidato que, desde jovem, só dependeu de QI (quem indica) para galgar posições. Parece piada um filhinho de papai, neto de Tancredo, se colocar como modelo de mérito. Como alguém sugeriu no Twitter: a última vez que Aécio dependeu da meritocracia, ele era um espermatozoide.
Contudo, para mim, o que chocou mais no debate foi o machismo escancarado de Aécio. O sorriso debochado com que tratou Dilma ecoou o dedo em riste a Luciana Genro no primeiro turno. O jeito com que Aécio se dirigiu aos eleitores, como “dona de casa” e “trabalhador”, soou como uma divisão de outro século. Como cereja no bolo, o tuíte de um de seus grandes apoiadores, Pastor Malafaia: “Já está saindo uma ordem de prisão a caminho da Band contra Aécio por espancamento à mulher, pede pra ele não matar Dilma kkkk”. Sim, esse tipo de piada no momento em que Dilma perguntou ao candidato tucano sobre a violência contra as mulheres. Isso num país em que 15 mulheres são mortas por dia, todos os dias, quase sempre pelo parceiro ou ex.
Espero que Aécio tenha aproveitado bem a primeira semana após a arrancada espetacular do primeiro turno. Porque a semana passada foi a melhor semana. Ela não volta mais. Foi um clima de já ganhou (que já vimos com Marina e que não se concretizou), de todos juntos contra o PT, de pesquisa fraudulenta que lhe dava 17 pontos de vantagem, de tudo o que não vai se manter. Porque as pessoas vão ver que o governo realmente não está grande coisa, mas pode piorar muito com a volta do PSDB.
O trabalhador vai, sim, associar o PSDB com privatizações e terceirizações e queda do salário mínimo e aí não vai ter “alternância de poder é tão legal” que dê jeito. Tanto que soou como desespero messiânico Aécio dizer, no debate, que o povo lhe pede para “libertar” o país do PT.
Ontem foi mesmo o dia do desespero. Doeu aos ouvidos ouvir Aécio aplicar um teste do DNA no Bolsa Família para atestar que a paternidade do programa é de FHC e, a maternidade, de Ruth Cardoso. Dói porque vem de um partido que, quando não está em período eleitoral, chama o programa de “Bolsa Esmola”. E depois ainda fica indignado quando o povo suspeita que, com a volta do PSDB ao poder, o Bolsa Família pode ser chutado pra escanteio. O que faz o povo pensar assim? Seria o fato de que grande parte dos eleitores tucanos chama quem recebe o benefício de “vagabundos”?
É importantíssimo para a estratégia tucana desvencilhar Aécio do PSDB. Para isso, vale tudo: desde uma obsessão em não discutir o passado, em particular os anos FHC (“não vamos olhar no retrovisor, vamos olhar pro futuro”, repetiu no debate), ao discurso que sua candidatura está acima de um nome ou de um partido e representa todo um projeto (o projeto de tirar o PT do poder, mas ele não diz com todas as letras).
O anti-petismo é vendido com uma embalagem de “mudança”, de “nova política”. Ontem recebi uma mensagem de uma leitora que dizia:
“Eu eu era uma quase analfabeta política, apesar dos já 28 anos nas costas. Me interessava pouco, me declarava apolítica no maior orgulho. Eu tinha ódio do PT sem saber. Aquele ódio inexplicável típico da classe média confortável na alienação. Votei na Marina no primeiro turno, mas dizia que se desse Aécio com Dilma no segundo, eu votaria nele. Bom, aí veio o segundo turno e, com ele, as inúmeras discussões nas redes sociais. Percebi que as pessoas que defendem o PT são muito mais esclarecidas e politizadas do que os tucanos/anti-PT de plantão, que, muitas das vezes, caem em argumentação vazia e cheia de preconceito e ódio. Passei de Aécio para o voto nulo. E agora, finalmente, do voto nulo para Dilma. Estou imensamente feliz e aliviada de ter me libertado desse ódio irracional ao PT que, claro, é um partido que tem, sim, muitos problemas, mas que ainda é muito melhor para a população do que o PSDB.
Acredito que essa racionalização ainda vá ocorrer com muita gente. Só espero que a tempo.
A desculpa mais esfarrapada que vi nessas eleições é para explicar o baixo número de votos de Aécio em Minas no primeiro turno. Afinal, Marina foi cobrada por jornalistas por não vencer nem no estado, o Acre (no final, ela acabou tendo o maior número de votos por lá). E é só ver o imenso peso que Eduardo Campos tem em Pernambuco (o único estado do Nordeste onde Dilma não ganhou).
No entanto é formidável: Aécio foi governador de Minas entre 2003 e 2010. Foi eleito senador pelo estado. Tem toda a mídia mineira tradicional a favor. Qual a desculpa para que a população do estado não vote nele? Os correios! Foi o correio “corrupto” que não entregou os santinhos. Porque o cidadão precisa muito ser lembrado que um ex-governador concorre à Presidência da República.
Quando derrotar alguém é mais essencial que a vitória de um grupo (ou “projeto”, como preferem), a história raramente termina bem. Uma possível vitória do PSDB teria o sabor amargo da de Collor em 1989. Não veríamos comemoração alguma. Apenas a comemoração de derrotar o inimigo, mas não uma festa por ter vencido. Porque, como sabemos, se o PSDB voltar, não haverá vencedores.
Contudo, passado o susto do início do segundo turno, creio que não volta. Não pode voltar.
*Lola Aranovich é Professora da Universidade Federal do Ceará e cronista de cinema


Bahia terá mais um dígito no celular

A Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações, informou que até dezembro do próximo ano os usuários da telefonia móvel na Bahia terão que acrescentar um dígito para fazer as ligações.

Com a mudança, o dígito 9 será acrescentado à esquerda dos atuais números de celular de todas as operadoras. O novo dígito deve ser acrescentado pelos usuários de telefone fixo e móvel que ligarem para móveis na Bahia.
De acordo com o assessor técnico da Anatel José Mauro Castro, a mudança será feita para aumentar a quantidade de números disponíveis para atender a demanda da telefonia móvel.


O aumento de um dígito para ligação já ocorreu no Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo. Segundo a Anatel, os usuários não precisam se preocupar porque que serão informados quando a mudança começar.